Publicado em 06 de Dezembro de 2017

Aprenda como fazer para economizar gás de cozinha

Para compensar o preço elevado do gás de cozinha é preciso utilizar várias técnicas que vão da forma de cozinhar até a manutenção do fogão.

Comprar gás diretamente nas distribuidoras costuma ser mais barato / Clemilson Campos/ Acervo JC Imagem

Comprar gás diretamente nas distribuidoras costuma ser mais barato
Clemilson Campos/ Acervo JC Imagem
Edilson Vieira
Reporter de Economia

Economizar água e energia elétrica já faz parte da rotina de muitos consumidores. O preço caro das tarifas acaba por forçar as pessoas a adotarem técnicas que evitam o desperdício e fazem sobrar um pouquinho mais de dinheiro no orçamento doméstico. Agora, outro item entra na lista das preocupações da família: o gás de cozinha.

 Com o aumento anunciado na terça-feira (5), o percentual acumulado de alta no preço do botijão de gás é de 67,8% nos últimos seis meses.  O preço médio de um botijão de 13 kg no Recife é de R$ 60. “Nesse momento de crise é preciso ir atrás de conhecimentos variados para fazer a diferença”, diz a economista e professora de economia doméstica da Universidade Federal Rural de Pernambuco, UFRPE, Laurileide Silva. “Mudando a forma de preparar e cozinhar os alimentos já é possível gastar menos tempo no fogão e assim, economizar gás”, ensina Laurileide. Outra ponto, muitas vezes esquecido é a manutenção do fogão e a forma de utilizá-lo.

A professora Laurileide Silva diz que o preço alto do gás pode servir até de incentivo para o uso de alimentos mais saudáveis. “Aumentar o consumo de alimentos crus e comer mais frutas e verduras, é uma boa forma de não gastar gás de cozinha”, diz Laurileide. Mas ela dá ainda outras dicas para quem não abre mão de usar o forno e o fogão, como descongelar completamente a carne no refrigerador e usar abacaxi ou limão para amolecer as fibras e, assim, diminuir o tempo de cozimento. Segundo ela, também é importante cortar os alimentos em pedaços pequenos e, no caso do feijão, colocar de molho em água por pelo menos duas horas para que o grão amoleça.

GÁS DE COZINHA

Outras dicas da professora são usar a panela de pressão para cozinhar a maioria dos alimentos porque ela reduz em até pela metade o tempo de cozimento, e abaixar o fogo quando o alimento entrar em fervura. “O arroz, por exemplo, você pode até desligar o fogo quando ele estiver quase cozido e tampar a panela, para que o calor complete o tempo de cozimento”, ensina Laurileide. Ela também lembra da importância de se fazer a limpeza do fogão sempre que necessário, utilizando desentupidores próprios nos queimadores (por onde sai o gás de cozinha para formar a chama), e também não negligenciar a limpeza do forno, onde restos de alimentos grudados formam uma crosta que “rouba” calor do forno. Numa oficina especializada, a limpeza de um fogão doméstico de quatro bocas custa em torno de R$ 80.

Já Dulce Melo, presidente da Associação da Dona de Casa de Pernambuco, afirma que uma boa estratégia é se planejar para fazer, de uma vez só, uma quantidade maior de comida para dois ou três dias, ou até para congelamento. “Aquecer um prato já pronto consome bem menos gás do que cozinhar diariamente”, diz Dulce. Outras dicas são: não exagerar no tamanho das panelas, já que panelas muito grandes levam mais tempo para aquecer; usar a lâmpada do forno para acompanhar o que estiver sendo assado e não ficar abrindo a tampa do forno todo o tempo; comprar o gás diretamente nas distribuidoras onde o preço costuma ser menor do que nas entregas em domicílio e, claro, observar se não há vazamentos entre o botijão de gás e a tubulação que, além do desperdício, é muito perigoso. A inspeção pode ser feita com uma esponja de cozinha molhada em detergente. Se formar bolhas na junção da válvula com o botijão, é porque há escape de gás. É necessário então ajustar a válvula ou até trocar o botijão.

 

Jc Online